Engenharia Florestal 


Com base nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Engenharia Florestal (Resolução nº 3/2006), o perfil desejado do egresso é que o mesmo tenha uma sólida formação científica e profissional; que tenha capacidade crítica e criativa na identificação e resolução de problemas (considerando os aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais) com visão ética e humanística; que saiba compreender e traduzir as necessidades dos indivíduos, dos grupos sociais e comunidade, bem como utilizar de forma racional os recursos disponíveis; que entenda e aplique a conservação do ambiente; e que tenha capacidade de adaptação de modo flexível, crítico e criativo.
 
Considerando as informações acima, pode-se destacar que o profissional formado pela FAEF será um profissional liberal, um líder, capaz de gerenciar empresas, projetos e equipes, identificando e resolvendo problemas relacionados com as áreas de atuação; terá capacidade de desenvolver pesquisas, definir metodologias, coletar dados, interpretar, concluir e publicar os resultados; saberá se expressar de forma escrita e se apresentar em público; promoverá a disseminação da informação e contribuir com a melhoria da consciência ambiental; estará apto a desenvolver trabalhos em escritórios e em campo; saberá a importância da sustentabilidade e a colocará em prática desenvolvendo suas ações de forma que sejam ambientalmente corretas, socialmente justas e economicamente viáveis; terá capacidade de lidar com pessoas, trabalhar em equipe e respeitar o ser humano; contribuirá com o desenvolvimento econômico da região; saberá a importância do trabalho voluntário e contribuir para isso quando for necessário e possível; terá consciência da necessidade em estender os estudos, procurando cursos de pós-graduação após a formação; conciliará a produção com a preservação do meio ambiente e estará apto a atuar nas diferentes áreas da Engenharia Florestal, sendo elas:
 
- levantamentos qualitativos e quantitativos de comunidades e populações silvestres;
- ecologia florestal;
- restauração de ecossistemas florestais alterados;
- preservação de ecossistemas, comunidades e populações florestais;
- reconhecimento e manejo de biomas;
- manejo de fauna silvestre (uso e proteção);
- monitoramento de populações, comunidades e da qualidade ambiental;
- manejo de bacias hidrográficas;
- manejo do solo;
- ecoturismo;
- licenciamento ambiental;
- educação ambiental;
- extensão e fomento florestal;
- silvicultura urbana;
- produção de mudas florestais (semente ou clone);
- coleta, beneficiamento e armazenamento de sementes;
- viveiros florestais;
- processamento e uso de produtos madeireiros;
- exploração de produtos não-madeireiros;
- implantação e condução de monoculturas florestais e sistemas agrossilviculturais;
- proteção florestal (controlar e evitar pragas, doenças, plantas daninhas e incêndios florestais);
- mecanização e colheita florestal;
- adubação e nutrição vegetal;
- administração, legislação e economia florestal;
- caracterização e mensuração geral de áreas;
- biometria e inventários florestais (estimar volume e acompanhar crescimento das florestas);
- uso direto e indireto dos recursos florestais.